40 anos depois: de volta a Lausanne

40 anos depois: de volta a Lausanne

Em meio a orações e planejamentos colaborativos para o futuro de Lausanne, fizemos uma pausa para nos lembrar de tudo o que Deus fez nos últimos 40 anos do movimento e agradecer a ele: surgimento de estratégias missionárias como Grupos de Povos Não Alcançados e Missão Integral; nascimento de centenas de redes e parcerias em torno de questões missionárias críticas; conexões geográficas, teológicas e geracionais entre líderes; e muito mais.
Por: Aliança Cristã Evangélica Brasileira
D

ez dias atrás encerramos nossa reunião da liderança internacional, um encontro de líderes europeus e uma celebração de aniversário de 40 anos perto de Lausanne, na Suíça, onde foi realizado o primeiro Congresso Internacional de Evangelização Mundial em 1974.

Em meio a orações e planejamentos colaborativos para o futuro de Lausanne, fizemos uma pausa para nos lembrar de tudo o que Deus fez nos últimos 40 anos do movimento e agradecer a ele: surgimento de estratégias missionárias como Grupos de Povos Não Alcançados e Missão Integral; nascimento de centenas de redes e parcerias em torno de questões missionárias críticas; conexões geográficas, teológicas e geracionais entre líderes; e muito mais.

Cerca de vinte participantes do primeiro Congresso Lausanne em 1974 estiveram em nossa celebração de aniversário numa noite de quarta-feira. Foi uma honra ouvir as histórias sem igual de como Deus os levou ao Congresso e as maneiras pelas quais suas vidas foram impactadas pelo Congresso.

O entusiasmo e a alegria com que falaram do de Lausanne 1974 zeram reviver no presente a importância e a emoção daquele evento histórico.

Também ouvimos acerca do impacto daquele Congresso sobre a cidade de Lausanne. Hoje, igrejas e ministérios da cidade reúnem-se uma vez por ano em oração, transpondo mais uma vez limites denominacionais, étnicos e geracionais.

Um dos momentos mais poderosos e emocionantes da semana foi ter o privilégio de nos juntar em oração aos irmãos ucranianos e russos quando se ajoelharam pedindo a Deus que use este tempo de conflito como oportunidade singular para testificarem de Cristo tanto na Ucrânia como na Rússia.


Líderes europeus de quase 40 países também se juntaram a nós nessa semana, concentrados nos desafios e no progresso da evangelização em todo o continente. Ainda que os desafios sejam muitos e complexos, líderes da Albânia, Eslovênia, Alemanha, França e outros compartilharam relatos acerca do trabalho ativo de Deus em jovens, entre mulheres, por intermédio de reuniões evangelísticas e plantação de igrejas.

Enquanto prosseguíamos na reflexão e celebrávamos a obra de Deus no passado, também nos reunimos para planejar o futuro. O que Deus fará nos próximos 40 anos do movimento? Vi um lampejo disso quando me reuni com a Equipe de Líderes Jovens que veio de todas as regiões do mundo a m de planejar a próxima Reunião de Líderes Jovens que será realizada em 2016. Vê-los foi uma representação de nossa esperança não só no evento, mas da esperança maior de que a geração deles, por todo o planeta, trabalhe junto para exercerem um impacto poderoso na missão divina hoje e no futuro.

Um dos líderes mais jovens disse que a parte mais significativa da semana foi encontrar líderes globais que encarnam o “espírito de Lausanne” conforme herdado de Billy Graham e John Stott — um espírito de humildade, amizade e compromisso sincero com a evangelização mundial. Uma parte importante do futuro do movimento está firmado na capacidade de os líderes atuais servirem como mentores dos líderes emergentes, transmitindo esse “espírito”.

Outra perspectiva de nosso futuro inclui a Missão China 2030, uma iniciativa da igreja chinesa para mobilizar e enviar 20.000 missionários até 2030. Como oferta à igreja global, a igreja chinesa almeja enviar um missionário para cada missionário recebido no país.

Estamos prosseguindo com maior clareza, entusiasmo e unidade. Nos últimos oito meses, ouvimos líderes do passado e do presente: seus pensamentos e esperanças quanto ao impacto futuro do movimento e tive a oportunidade de compartilhar a resposta disso em nosso tempo na Suíça. Desse processo emergiu um modo muito mais claro de expressar quem é, o que é e por que existe o Movimento de Lausanne, e espero revelar mais dessas respostas nos próximos meses.

Há muito para agradecer e a expectativa pelo o que Deus fará é grande!

Voltamos a declarar o chamado do Congresso de 1974 — Que o mundo ouça sua voz! 40 anos atrás e agora, nós nos dedicamos à colaboração global para que as boas novas de Jesus Cristo sejam compartilhadas em todas as nações.

Até que toda a terra ouça sua voz,

Até que soe a trombeta,

Até que todos os povos sobre a terra conheçam sua salvação, continuaremos trabalhando.

autor: Aliança Evangélica Brasileira

Aliança Evangélica confessa sua fé em sintonia com o legado evangélico alicerçado nos marcos da Reforma Protestante: a suficiência das Escrituras, a mediação de Jesus Cristo e a justificação pela graça mediante a fé. Afirmamos a fé bíblica com a comunidade evangélica histórica e global, a partir do Credo Apostólico.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.