Una a esquerda à direita e Ore

Não vai muito tempo desde que tivemos relativa concordância na sociedade brasileira. Em junho de 2013 a nação foi às ruas e foi protagonista da maior manifestação popular já registrada no país, desde as campanhas para Diretas Já.
Por: Aliança Cristã Evangélica Brasileira
E

Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar.” ( II Cr 7:14,15)

Não vai muito tempo desde que tivemos relativa concordância na sociedade brasileira. Em junho de 2013 a nação foi às ruas e foi protagonista da maior manifestação popular já registrada no país, desde as campanhas para Diretas Já.

Ainda que não houvesse uma pauta única, houve algum consenso em relação a um ponto, qual seja, a generalizada ausência de ética na política brasileira, produto de uma sociedade onde a corrupção, muitas vezes chamada de ‘jeitinho’, predomina.

De lá para cá, o que se observou foi um aprofundamento da crise política, uma vez que esses ‘atores’, com raras exceções, buscaram de toda forma a sua sobrevivência institucional, mostrando pouca ou nenhuma intenção de elaborar um ‘mea culpa’ que pudesse, quem sabe, dar sequência a um esforço comum no sentido de viabilizar uma profunda Reforma Política no Brasil.

As diferenças ideológicas criaram um ambiente de profundo mal-estar, especialmente entre aqueles que optaram pelo caminho da violência, gerando um estado de polarizações que, ao que parece, vai durar por muito tempo.

Mais do que nunca, precisamos orar pela unidade nacional. É preciso muita sobriedade e comprometimento cidadão com o futuro do nosso país. Por isso, conclamamos a igreja brasileira a unir as mãos e dobrar os joelhos diante dAquele que conduz a história e, na Sua soberania, haverá de conduzir a nossa nação a um porto seguro.

Em nossas orações, apresentemo-nos diante de Deus como parte do problema. Confessemos os nossos próprios pecados, e em nossas orações, clamemos por justiça e paz. Não a justiça que destrua as pessoas, mas que as transforme, no melhor espírito evangélico, em agentes do bem comum. Não a paz que seja fruto de uma ordem aparente, mas Shalom, a paz que se expresse em saúde, harmonia e prosperidade para todos. Oremos assim, por nós mesmos. Oremos pelo Brasil.

Brasil, 8 de novembro de 2016

Aliança Cristã Evangélica Brasileira

autor: Aliança Evangélica Brasileira

Aliança Evangélica confessa sua fé em sintonia com o legado evangélico alicerçado nos marcos da Reforma Protestante: a suficiência das Escrituras, a mediação de Jesus Cristo e a justificação pela graça mediante a fé. Afirmamos a fé bíblica com a comunidade evangélica histórica e global, a partir do Credo Apostólico.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.